Tradução deste blog

terça-feira, 17 de maio de 2011

A CRIANÇA E O COPO DE CRISTAL

Que semelhança existe entre a criança e o copo de cristal?
Tenho várias respostas, mas, para começar vamos dizer que a maior semelhança, está na fragilidade.
Quem tem copo de cristal em casa, (não os tenho) sabe o cuidado que deve ter  no manuseio dessa louça. Vou comentar uma experiência que nunca compartilhei publicamente, por constrangimento. Somente fazia uso dessa estória, quando queria mostrar para alguém que a criança tem sentimentos o que muitos ignoram. Muitos acham que as crianças, não tem sentimentos, não percebem as coisas, não podem sofrer traumas e não podem se afundar no poço da depressão. Vamos aos fatos. Fui criado na baixada fluminense, jogando pelada(1) nos morros e empinando pipas. Tinha aproximadamente uns 9 anos de idade e obviamente nesse tempo,  não havia televisão, portanto, não dispúnhamos de informações que hoje, sobrecarregam os infantes, não havia também as safadezas tão propaladas hoje, pelas mídias. Nesse tempo, uma tia e sua filha vieram morar em nossa casa e em uma oportunidade, ambas me assediaram com uma pergunta maliciosa que, apesar da idade e da falta de informações, percebi que elas queriam saber se eu fazia o tal "troca troca"(2). Senti dentro de mim, naquela idade, raiva e  repulsa por ambas.  Não sabia explicar, porém, sabia que algo estava errado, meus sentimentos estavam sendo invadidos,  não podia definir o que era caráter ou personalidade, mas a minha, manifestou-se naquele momento e a partir daí, aquela tia, nunca mais obteve o meu afeto, o meu carinho e aquelas palavras nunca saíram de dentro de mim. Há poucos anos atrás, esta tia veio a falecer e me haviam contado que ela queria de qualquer maneira que eu fizesse o ofício fúnebre dela, quando isto acontecesse. Corri ao cemitério e fiz o que deveria ter feito. Sem qualquer sentimento, todavia, até hoje, me lembro disso com uma certa chateação.
Quando estou com minhas netas ou outras crianças de amigos, gosto de investir, zoar(3), para ver como reagem, tenho o máximo de cuidado pois, aprendi muito cedo, que criança tem sentimentos e não é bom subestima-las.
Não me esqueci do copo de cristal - A sociedade moderna, com todos os seus conflitos, lares que passaram a ser apenas um refugio contra o tempo e por vezes, um mau refúgio, fragilizaram nossas crianças, quando ouço falar do turismo sexual envolvendo crianças, molestação em troca de centavos, prato de comida, sinto um tremor dentro de mim, pois tais crianças, precisam de carinho, compreensão e amor, o que está sendo negado as escâncaras. Nessa fase da vida, os corruptores de menores, estão por toda parte, vestidos de pai, padrasto, bons vizinhos, parentes em geral, que sem qualquer sentimento, as violentam, destruindo-lhes a pureza observadas por Jesus em Lc. 18:16  "... Mas, Jesus, chamando-as para si, disse: Deixai vir a mim os pequeninos e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus"
Uma criança vivendo em um lar onde o amor não existe ou vivendo em um lar onde um casal homo-afetivo passa a ser o seu único referencial, mesmo que tenham a melhor "boa vontade", elas estarão tal e qual um copo de cristal, a ponto de se quebrarem e um copo de cristal quebrado, não tem chances de reparos. Somente o amor de Deus poderá salva-las, todavia, nem o amor de Deus, apagará as marcas do abuso ou da  violência, quer no corpo ou na  alma.
Quando uma sociedade, demonstra mais afeto por um animal (amo os animais), investe muito mais na saúde do seu cãozinho de estimação e não deve abandona-los a sorte, que no próprio ser humano, não pode se queixar que o seu prédio foi invadido por meliantes, este é o preço do desprezo que se dá às vidas e tudo começa na infância, no copo quebrado.
1) Pelada - jogo de bola, praticado em qualquer espaço que permitisse.
2) troca-troca - bulinagem entre garotos. 
3) Zoar - verbo e gíria,  cujos significados são:  debochar, brincar, se divertir, provocar entre outros sentidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário