Tradução deste blog

domingo, 24 de abril de 2011

PÁSCOA JUDAICA OU CRISTÃ?

Estamos nela.
Todo ano, sempre a mesma preocupação.
Lembro-me que há muitos anos atrás, não se podia falar em ovos de chocolate. Tudo o que dizia respeito a Pascoa, era por muitos cristãos, exceto, os católicos, idolatria. Quando tudo é idolatria, passamos a duvidar se existe mesmo idolatria salvo as que a Bíblia trata definida e definitivamente como idolatria, o que fez parte das discussões e orietanções produzidas no primeiro concílio da Igreja em Jerusalém.
Houve época em que nem se podia cogitar de comer um chocolate em forma de ovo; isto era um sacrilégio (1). Sei que todo padre ou religioso, sabe o verdadeiro significado da Páscoa Bíblica.
Nunca considerei a Páscoa Cristã,  uma idolatria mas, uma festa nada emblemática pela forma como é vista e praticada. A Páscoa tal qual comemorada, é uma provocação a inteligência de qualquer cristão leitor da Bíblia Sagrada, muito boa para quem ama feriados prolongados ou resolve trocar carne por peixe por conta da "semana santa" que se encerra no domingo de ramos com a comemoração da Páscoa ou ainda, vive do comércio de produtos voltados à data.
Para entender o significa da Páscoa dita Cristã, faz-se necessário entender a Páscoa Judaica ou Pessach  iniciada no 14º dia de Nissan (março/abril).
Se você é uma pessoa religiosa e quer comemorar a Páscoa de verdade, atente para receita que está no livro de Exôdus 12. Os seguintes ingredientes,  farão parte da mesa: Um cordeiro ou cabrito para cada família, ervas amargosas e pães asmos isto é, sem fermento. Não cozinhe a carne, ela deve ser assada ao fogo, exatamente como fazemos o nosso delicioso churrasco. Não usando esses ingredientes, não é pascoa. Quero lembrar que a pascoa não foi inventada pelos imperadores romanos ou pelos papas que deram largas aos dogmas da igreja. Outra questão importante e talvez isto seja um grande entrave, é que, a sociedade moderna, não é muito afeita a repartir com vizinhos e repartir o cordeiro, era uma palavra de ordem.
No novo testamento, a igreja de Cristo, igreja verdadeiramente cristã, não comemora pascoa pois sabe que ela apontava para Cristo e nele mesmo, como a maior profecia do antigo testamento acerca do sacrifício do filho de Deus, se cumpriu, tornando-se emblemática, o Apóstolo Paulo encerrou a questão dizendo: "...CRISTO, A NOSSA PÁSCOA, FOI SACRIFICADO POR NÓS" (ICo 5:7).
Jesus quis comemorar a Páscoa com os discípulos e ele que tinha toda autoridade, resolveu modificar os elementos, usando na oportunidade, o pão e o vinho a que o Apóstolo Paulo chama de "memorial"  ICo 11:23 e seguintes. "Fazei isto em memória de mim, disse JESUS", (Lc 22:7 e sgts.).
Dar a Páscoa o tom que se dá nas liturgias é no mínimo desprezar os ensinamentos da palavra de Deus e todos os líderes religiosos, sabem disso muito bem e deveriam reconsiderar a questão.
Exageros a parte;  há cristãos que proíbem os filhos de comer um pedaço de chocolate em forma de ovo por considerar  isto, uma idolatria. Minha particular consideração é que esta pascoa,  dita cristã é uma impropriedade tamanho família, nunca considerei uma idolatria.
Fui pastor de uma igreja, em Vila Miriam e nunca me saiu da lembrança quando uma irmã, em um culto de testemunhos, usando o microfone disse: "Deus me abençoou muito, pois, eu estava desempregada e resolvi fazer ovos de pascoa. Vendi tantos  que me surpreendi". De início, corei um pouco porém me refiz para pensar que; se tem quem coma, deve haver quem o faça (rs...).
Só achei muito estranho foi ouvir neste último sábado, um programa evangélico em que um renomado líder assembleano disse ao encerrar o programa: "Uma abençoada pascoa para todos" Confesso que não entendi essa saudação!!!
Se alguém tentar me explicar;  que o faça biblicamente.
Não considerar o que a bíblia diz a respeito deste tema, é introduzir heresias na igreja e tudo tem seu preço.

1) Profanação das coisas sagradas, termo muito usado no catolicismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário