Tradução deste blog

sábado, 8 de janeiro de 2011

KIT DO MEC CONTRA HOMOFOBIA

Acabei de entrar no blog do Pastor Anselmo. Fiquei impressionado com o material oferecido para leitura. Boa diversidade e confesso, bastante ousado e corajoso. Não estou rasgando seda pois não é próprio da minha personalidade é que gosto de abordagens ousadas e corajosas, sem maquiagens. Um dia eu chego lá. 
Bem! com relação a essa questão de homofobia, é preciso dizer ao mundo que não somos idiotas, que sabemos diferenciar violência contra uma pessoa por sua opção de sexualidade e outros tipos de violência. Só em pensar nos causa irritação porque, do ponto de vista da escolha de cada um, quanto a maneira de viver, isto só lhe diz respeito. Não cabe, pelo simples fato de vê-los andando, com os quadris em movimento, jeito  próprio das mulheres ou alguma mulher, com jeito másculo ao caminhar, querer apedreja-los e esta educação, deve começar tão logo a criança aprenda a falar. Respeitar os homens pela cor da pele, pela opção sexual, pela condição social, é UMA OBRIGAÇÃO DE CADA CIDADÃO. Quando queimaram o índio em Brasília, agrediram a doméstica no Rio de Janeiro, vemos que o problema não é a homofobia contra gays ou lésbicas, é violência gratuita, uma questão de berço, de educação mesmo; destilar ódio contra qualquer pessoa.  Nessa questão, os nordestinos são muito escolados como vítimas de desprezo. Mais homofóbico que a maneira com que  os professores estão sendo tratados em sala de aula? Afugenta qualquer um que tenha esse sonho. Apavora. Quando algum professor ou professora, já esgotados resolvem reagir, o mundo desaba sobre a cabeça deles e não há quem os defenda. É questão de berço mesmo. Nesse sentido, o MEC deve distribuir material educativo, aliás, não sei porque somente  o MEC quando temos a MÍDIA TELEVISIVA com alcance estupendo, porque não usar os intervalos de programação, desenhos e filmes educativos, para ensinar o respeito devido as pessoas? Os pais vivem ocupados em ganhar dinheiro para a família e não tem tempo. Essa falta de tempo dos pais é que está gerando homofobia generalizada. Aí, vem o governo e proíbe as palmadas, proíbem qualquer tipo de disciplina.
Dizer para o meu filho que não deve ficar de quatro para outra criança, é homofobia? dizer para nossas filhas que beijar outra menina, salvo, aquele beijo facial de oi!!!  não deve ser praticado, isto é homofobia?  A televisão com seus filmes, novelas e até programas de auditório tem alimentado a libido, investem alto em erotização e querem nos calar? a troco?  De repente, somos todos homofóbicos?
E para encerrar, pergunto, com que direito o MEC investe tempo e dinheiro para defender minorias? As cartilhas que foram recolhidas em 2010, alguém foi indiciado por gastar dinheiro público, esse dinheiro foi reembolsado aos cofres do MEC? Até quando veremos o pais(BRASIL)  ser puxado para baixo por pessoas que não o amam, não querem vê-lo rico, forte, competitivo e sério.
Os que desejarem contribuir para o bem estar geral, diga não ao MEC e assine o termo de petição pública sugerido em:

E.T. Gostaria que ao entrar no portal de assinaturas, tivéssemos acesso ao título da chamada.


2 comentários:

  1. Caríssimo pastor e velho amigo Genivaldo, Afinal encontrei-o por aqui! Glória Deus, os irmãos se encontram no caminho da seara. Fico feliz pelo contato e passo a ser seguidor do seu blog. Há anos não nos vemos e a idade já nos chegou! Não faz mal, estamos mais perto deo Senhor.Manterei contato e relembraemos os bons tempos de Lapa, Vila Carolina, Vila Míriam etc. Hoje, pela misericórdia do Senhor, sou Evangelista, na Igreja Assembléia de Deus Bereana, em Vila Mariana, sob presidência do Pr. Walter Brunelli. Até breve, com forte abraço fraternal do Izaldil (para os íntimos)para os demais, Prof. Tavares.

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo e prof. Izaldil Tavares, cujos pais me receberam quando jovem, em sua casa, para um café. Você era muito moço a época, eu também (rs...). Você recebeu deles uma valiosíssima herança, sabia que ia me encontrar quando te vi no blog do Pr.Anselmo. Só quero saber porque de tanta honra em tê-lo como meu seguidor quando deveria ser o contrário. Nunca me esqueço do cursinho pró vestibular em que tive a felicidade de vê-lo dando aula para mais de 1500 alunos usando microfone. Que prazer. Fico envergonhado pela pobreza dos meus textos, principalmente pela gramática. DEUS abençoe você e um forte abraço ao Pastor W. Brunelli.

    ResponderExcluir