Tradução deste blog

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

SOMOS TODOS HIPÓCRITAS.

Se somos 200 milhões de brasileiros, vamos estimar que os "politicamente corretos" são em torno de  50 milhões então, o Brasil tem 150 milhões de pessoas hipócritas.
Caldas Aulete define hipocrisia como aquele que simula ter uma qualidade ou sentimento que não tem. Prestem bem atenção na definição: "Aquele que simula ter uma qualidade ou sentimento que não tem".
Além de sermos hipócritas, não temos qualquer sentimento, somos dissimulados. 150 milhões de brasileiros, é tudo isso que você acaba de ler porém, não sou eu que estou falando pois eu também sou tudo isso que você acaba de ler. Quem disse tudo isso foi nada mais nada menos que o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sergio Cabral e os que com ele fazem coro.

UOL NOTÍCIAS cita AG.ESTADO.
(ipsis lítteris) "...O que eu quero dizer é que há uma hipocrisia no Brasil. Esse tema foi muito mal discutido na campanha eleitoral. As pessoas já conhecem minha opinião", afirmou ele, para então repetir o discurso da presidente eleita, Dilma Rousseff, sobre o aborto durante a campanha eleitoral...".
"Ninguém é a favor do aborto. Você é a favor do direito da mulher recorrer no serviço público de saúde a uma interrupção de gravidez. Imagina, quem é a favor do aborto? Ninguém é a favor do aborto, não imagino que tenha uma mulher e um homem no mundo favorável ao aborto", afirmou. "Mas uma coisa é uma mulher, por alguma necessidade, física ou psicológica, psiquiátrica, orgânica, desejar interromper uma gravidez."
DISCURSO DIFÍCIL DE ENTENDER.
Vira uma discussão semântica. Ninguém é a favor do aborto mas é a favor de buscar o serviço público para interromper uma gravidez. Aí criam-se leis que facilitem essa busca no serviço público portanto, quando se diz: Sou a favor do aborto, entenda-se: sou a favor de leis que protejam o direito de abortar.
CONTINUANDO.
Usa-se muito esta expressão: "somos uma sociedade hipócrita" como também "falso moralismo".
Dias atras,  passei em frente a uma escola e entre as pessoas que estavam no pátio externo, notei um casal de jovens, acredito que saindo da adolescência,  sentados no banco, demonstrando afetividade, beijando-se loucamente na boca, dava a impressão que ele queria engolir alguma coisa, cena hollywoodiana. Pensei comigo: cadê o respeito a quem está do lado. Não existe. Supondo que o pai estivesse passando por ali e resolvesse interromper o idílio. Ele fatalmente seria chamado de falso moralista, participante de uma sociedade hipócrita. É assim que são tratados todos aqueles que não concordam, com as mazelas praticadas pela sociedade. Já vi também esta cena praticada por casais gays.
Na questão do aborto, a vida intra-uterina, não tem qualquer valor para eles. Arrancam do ventre materno aquele que não tem como gritar por socorro, não tem como se defender. Não estão defendendo gravidez de alto risco,  estão falando de qualquer gravidez. Quando falamos que somos contra, lá vem a pecha de "hipócritas e falsos moralistas". Porisso que querem calar a igreja a todo custo.
O Brasil tem tudo para ser uma nação justa mas, grande parte dos responsáveis pela legislação querem aprovar leis que estimulam a licenciosidade. Ao invés de usar a mídia para ensinar o que é decente, preferem agradar uma minoria sem compromissos com a família. Veja o Carnaval por exemplo; O governo distribui gratuitamente as camisinhas, é como se dissessem, podem fazer sexo a  vontade. Se engravidar, o estado paga também para tirar o filho. Pagamos o preservativo e se não resolver, pagamos também o aborto. As consequências são muito danosas e acreditem; Somos uma nação cristã. Imaginem se não fossemos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário