Tradução deste blog

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

I - O SOL NÃO É PARA TODOS

Pretendo segundo a graça de Deus, desenvolver este tema em vários pontos para abordar a questão do estreasses, da depressão e do suicídio. O suicídio; mesmo sendo caso raro, nos surpreende quando uma pessoa cristã violenta sua própria alma para fugir da guerra travada no seu interior. Quando penso no esboço deste primeiro ponto, sou abordado por um morador próximo da minha casa que pede socorro para sua família. Ele separado da mulher, desempregado e dois filhos jovens, que comem da mesa do avô; o temor está estampado no semblante cansado, o avô diz não aguentar sustentar os jovens também desempregados, a comida é pouca e os traficantes rondam, pois, é uma situação oportuna para recruta-los e dar-lhes alguns trocados que só irá servir para pagar o vício em que acabaram entrado, como forma de fugir do cotidiano. Um deles, na semana anterior a esta, fora preso portando drogas Recebo também um conjunto de fotos, uma delas, deu ao fotógrafo o prêmio Pulitzer, que mais tarde, deprimido, suicidou-se. As fotos retratam crianças africanas, filhos de Deus como nós, na fronteira da morte. Penso que se pudessem, pediriam: por favor mate-nos. Ficar tripudiando em cima desses assuntos, quando nada nos falta, temos família bonita e bem alimentada, carro escolhido a dedo, para o vizinho não ter vergonha de nós e roupas de marca, tudo fica fácil. Metidos como somos, vamos a igreja para adorar a Deus, sem nos preocuparmos com o que acontece no entorno. No término do culto, levamos a família ao melhor restaurante e assistimos o restante do Fantástico. Terminou o domingo dos abençoados!!!
É bem possível que você já esteja pensando em uma dezena de textos da bíblia, para combater o título escolhido, dizendo que Deus deu o sol para justos e injustos. Não aproveita quem não quer.  Não se apresse. Temos muito a falar sobre este assunto e o meu desejo é que os fracos sejam fortalecidos; que os fortes saibam que sua força vem de Deus que espera vê-los ajudar os fracos e não, partir para o açoite e a semelhança dos amigos de Jó, se tornarem consoladores molestos. Portanto, este é o primeiro ponto.


4 comentários:

  1. Parabéns Pr. Genivaldo por se preocupar com temas sociais e tão atual, como é o caso do suicídio, vivemos numa sociedade onde angustias, depressões e doenças psicológicas tomam conta das pessoas, independente de suas crenças. Tudo isso é gerado devido a grande cobrança social existente sobre as pessoas, em muitos âmbitos: profissional, acadêmico, familiar e até mesmo eclesiástico, etc.
    Esse mal vêm se agravando a cada dia, e não é difícil encontrar na bíblia pessoas que tiveram esse sintoma, desejando à morte.
    Se alguém quer ficar livre disso, precisará olhar sempre para frente; tentar enxergar o invisível, negar as decepções do presente e passado,(já que apagá-las é impossível) e acreditar que dias melhores virão.
    Vale lembrar a história bíblica de Jeremias, que mesmo perdendo casa, paz, e foi até obrigado a se retirar da própria cidade natal, levado como prisioneiro, sem direito de defesa... ainda assim, houve fôlego para escrever, vendo um futuro distante e posterior a 70 anos à frente: " E há esperanças, no derradeiro fim..." Jr. 31.17.

    ResponderExcluir
  2. Caro Jafé.
    Penso que não preciso mais escrever (rs...) voce colocou bem a questão, mas, escreverei sim; temos uma riqueza para perscrutar e ajudar os que estão entrincheirados e sem munição.

    ResponderExcluir
  3. Caro Genivaldo,

    Você já sabe minha opinião acerca do assunto, logo, prefiro deixar meu comentário após ler os três artigos.

    Abaixo.

    Paz!

    ResponderExcluir
  4. Não me lembro da sua posição a respeito. Fique a vontade e para mim será sempre um prazer te-lo como aferidor das matérias.

    ResponderExcluir