Tradução deste blog

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O dízimo da irmã Mariazinha



Ainda que autorizado, vou omitir o nome verdadeiro.

Irmã Mariazinha vive neste planeta terra há 77 anos. Ela é aquela "pessoinha" que a gente tem vontade de levar para casa e adotar como mãe ou avó, sempre apresenta um sorriso nos lábios, aliás não entendo crente que não sorri.

Seu esposo, residente no andar de cima,  por muitos anos foi regente do coral da Igreja Assembléia de Deus em Vila Brasilândia, e terminou seus dias comigo em Vila Lucrécia.

No Dia dos Pais de 2010, após um culto maravilhoso, em que nossas crianças e adolescentes falaram coisas lindíssimas acerca de seus pais, algumas pessoas voltaram à igreja nervosos e chorando. Perguntei o que tinha acontecido e fui informado que um individuo, bêbado, ao manobrar o carro atingiu nossa irmã Mariazinha, quase partindo sua perna. Fui até o local do acidente e fiquei ao seu lado até que o resgate chegasse para conduzi-la ao hospital. Após cinco dias internada no Hospital do Servidor Público do Estado, ser operada, e de lá sair com aquela gaiola tracionadora na perna atingida, sua nora a convidou para que ficasse em sua casa enquanto se recuperava.

Então, fui levar a Ceia do Senhor para tão amável figura. Após servir-lhe o pão e o suco da uva, ela me disse: "Pastor, domingo minha filha foi à igreja?" Disse-lhe: "Sim e com a sua neta." Ela emendou: "Minha filha foi levar o meu dízimo de agosto e setembro." Eu agradeci e louvei a Deus por causa da fidelidade dela ao Senhor.

Voltando para casa, o meu coração e mente ficaram para trás, absorvendo aquelas palavras: "foi levar o meu dízimo". Minha mente reuniu as milhares de irmãs Mariazinhas, mulheres viúvas, dependentes de paupérrima pensão do INSS, ou de magra aposentadoria, que numa hora como essa deviam usar o seu dinheiro do benefício para uma melhor alimentação. Não. A lealdade da irmã Mariazinha sempre diz para ela: "Antes de tudo, o dízimo do Senhor".

Aos descrentes eu garanto; nada lhes falta.

PAUSA PARA MEDITAÇÃO.

Aos pastores, aos Bispos, aos Apóstolos de hoje. Vocês têm coragem de usar o dízimo da irmã Mariazinha para comprar um carro que parece um avião, roupas das melhores grifes, mansões na outra América - até mesmo um avião de verdade, cujo valor da manutenção daria para ganhar centenas de almas, se fosse aproveitado para evangelismos e missões transculturais. E quando são interpelados, respondem: Os servos de Deus precisam viver como príncipes, temos que mostrar que somos filhos do Rei. E o que o Rei deve estar dizendo numa hora dessas?

Quando passam pela rua com aquela máquina possante, cruzam com milhares de Mariazinhas, sem notá-las, não as enxergam, não as cumprimentam porque estão apressados para chegar na casa do amigo Doutor, o único membro da igreja que conhecem, para quem telefonam ao primeiro espirro que ele dá. O  que será que o Rei está pensando?

E na hora de construir aquele suntuoso templo, desejam que seja o maior, o mais belo, todos precisam ver como o ministério de vocês é fantástico, como se a enorme dimensão do prédio reproduzisse o tamanho da fé de vocês. O que será que o Rei está dizendo?

Saibam que cada tijolo representa uma lágrima da irmã Mariazinha.

Brevemente, em São Paulo teremos a réplica do templo de Salomão, construído com os dízimos das Mariazinhas. Uma fortuna!

Confesso que deixei a casa da irmã Mariazinha altamente comovido. Comoção motivada pela mesma razão que me fez ter todo cuidado para não mexer naquilo que não me pertence, que é da obra, que custaram as lágrimas e os sacrifícios das Mariazinhas. Pensem neste zelo.

Lembram de Meca?  O muçulmano precisa visitar Meca pelo menos uma vez na vida. Constrói-se Meca no norte,  no Sul e onde mais for possível (não se discute aqui espaço e conforto necessários).

E para finalizar, quero lembrá-los que o Rei está voltando. Sinceramente, espero que ele esteja concordando com tudo isto que está acontecendo no mundo evangélico brasileiro, porque se não estiver, o coro vai comer feio.

16 comentários:

  1. Concordo com o que o Pr. Genivaldo falou. Acredito na benção de Deus para aqueles que são fiéis no dízimo, porque é uma promessa de fartura, dada pelo próprio Deus (Ml 3.10), que também inclui a felicidade no lar, pelo fato do senhor repreender o devorador, um nome dado para o diabo (Ml 3.11,12). Conheci esse casau, irmão Vicente que dorme no Senhor e, irmã Mariazinha a dez anos. Até pouco tempo atrás a nossa irmã não perdia um culto a Deus, mesmo com idade tão avançada. De onde vem tantas forças. Será que não é o Senhor que a sustenta?
    Paz do Senhor

    ResponderExcluir
  2. Caro I.Jafé.
    Grato por seus comentários. O dízimo é um fator de bênção porém o que conta é a fidelidade e confiança no Senhor. Há duas maneiras de contribuir com esta parcela; pela lei da reciprocidade e da vantagem ou pela fé nas providências de Deus nos tempos de dificuldade. O Senhor disse a Paulo: "A minha graça de basta" IICor 12:9

    ResponderExcluir
  3. Prezamado pr. Genivaldo Tavares,

    A paz do Senhor!

    Com certeza o coro vai comer feio! Não tenho dúvidas!

    ma vergonha a posição destes pastores construtores de MECAS para o seu engrandecimento e justificam este roubo como uma dedicação ao Senhor. Sinto vergonha!

    Vivemos e convivemos com os últimos dias do Final dos Tempos e eles, prometem dias melhores. Enganadores e roubadores dos dízimos e ofertas das irmãs Mariazinhas e Joãozinhos.

    Onde está a orientação de Deus na vida destes pastores, que somente sabem promover o "DIA DO QUILO" para vergonha do evangelho, como foorma de eliminar problemas de irmãos que passam necessidades.

    coleções de arroz e feijão, sem falar na farinha e no fubá se estragando nos porãos da igreja.

    Onde está a carne, os ovos e o frango. Estes ficam de lado. Não há geladeira no porão.

    Onde ficam as viúvas e os orfãos na vida destes pastores, portadores de autos importados(diga-se IPVA e seguro caríssimos e residências bem montadas com aarência castelar, e bem escondidas nos EUA?

    Sinto vergonha destes que não se contentam com o pastorado e incluem em suas VIRTUDES o título de apóstolos.

    Triste!

    O Senhor seja contigo!

    O menor de todos.

    ResponderExcluir
  4. Pastor
    Genivaldo, gostei da forma com que o senhor falou do dizimo usando como exemplo
    alguém como a irmã mariazinha que e verdadeiramente uma bênção, exemplo pra mim
    quanto aos pastores e obreiros enganadores, prestarão contas naquele grande dia.

    ResponderExcluir
  5. Ao Pastor Newton Carpintero.
    Quem dá uma cesta básica fica com a sensação do dever cumprido (Oh!!! minha igreja distribui 50 CB) mas, os que recebem, não escovam os dentes, não lavam roupas, não usam desodorante (e reclamamos quando chegam perto) não comem um naco de carne (quando a gente se empaturra nas picanhas) o pó de café, misericórdia, longe com os aproveitadores e sugadores, falo de irmãozinhos que não perdem culto, oram pelos seus pastores etc. etc. o espaço é curto.

    ResponderExcluir
  6. Caro Pastor Newton Carpintero.
    Desculpe, esquecia de agrader sua participação.
    Problema sexagenarial rs...

    ResponderExcluir
  7. Prezamado pr. Genivaldo,

    A paz do Senhor!

    Não há o que se desculpar. Estou quase lá e já sinto os sintomas, que me informam a proximidade com a Glória de Deus. Risos!

    O Senhor seja contigo!

    O menor de todos.

    ResponderExcluir
  8. Pai, fiquei sabendo deste acontecimento trágico e ao mesmo tempo uma lição de vida para todos.
    Quantos aos "pastores" ou "obreiros", que se vendem por tão pouco, mal sabem eles o quanto arrogantes aparentam ser......mas quem sou eu pra julgar alguém.....

    Bjus Pai fuiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  9. Olá meu querido tio.
    Sempre o admirei por sua luta, coragem, preserverança e lisura nas atitudes. Tenho-te como um guro de nossa profissão e também dos bons valores e costumes da nossa vida terrena.
    Quem o conhece sabe bem o exímio exemplo da obra de DEUS que és.
    Quanto aos esbajadores, não nos cabe julgar, pois um dia, certamente também seremos por nossa passagem e condutas.
    E são exemplos como estes que colaboram pela disseminação coerente das verdadeiras "necessidades humanas" e aos desígnios de DEUS, ao invés de se deixar corromper pela avareza material - que só causam conforto físico - levando alguns de nossos líderes, ao esquecimento de que o único conforto que nos aguarda será o Eterno e Espiritual.

    Éverton

    ResponderExcluir
  10. Grande surpresa... eu já havia comentado nesta matéria.

    Só que descobri algumas falhas na digitação.... rs

    O menor de todos os menores

    ResponderExcluir
  11. Pr.Genivaldo, a Paz de Cristo.
    Estou feliz por encontrar tão fértil e abundante manancial de águas puras e cristalinas ao deparar com este belíssimo texto. Garanto ao amado que me vi sorvendo o melhor e mais doce néctar,e sem exagero algum como Paulo aos pés de Gamaliel. Ganhaste um discípulo.
    No mais,saudaçoes com a mais perfeita paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  12. nossa que lindo texto.....verdade... o dízimo para muitos pastores nada mais é que uma fonte lucrativa de renda. esquecem que é para manutenção da casa do senhor, mas tb para investimento espiritual, para o crescimento do evangelho.... posso publicar no meu blog???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris Oliveira.
      Feliz 2016 e tenha total liberdade sobre minhas publicações.

      Excluir
  13. Lamentavelmente o Sr. Genivaldo está totalmente equivocado em relação a veracidade e aplicabilidade do dízimo. É um absurdo vermos homens que se intitulam pastores com um entendimento tão superficial sobre um assunto tão importante como o dízimo. E também muito me admirei esse ser um texto indicado pelo blogue.
    Na realidade esse dízimo mensal e em dinheiro é uma mentira. O dízimo original instituído na antiga aliança para os israelitas nunca foi dinheiro, sempre alimento. Um anual e o dízimo de Malaquias a cada três anos e também alimentos, portanto o mensal e em dinheiro nunca existiu.É vergonhoso um homem se intitular pastor e não ter esse conhecimento, o que denota claramente a falta da guia de ensino pelo Espírito Santo. O que o senhor deveria ensinar é que a caridade e o cuidar da verdadeira igreja de Cristo, isto é, "pessoas" é que tem que ser assistidas em suas necessidades e não um prédio e muito menos um pastor.Coitada dessa irmã que parece temer a Deus, mas está colocando sua fé no lugar errado. 1 Co 2.Vocês precisam de arrependimento, conversão e novo nascimento urgentes..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Da. Maria Simões. Não vou ser grosseiro com a senhora, vi o seu vídeo sobre o assunto, "dízimo". Pastoreei igreja por trinta anos e coopero há 55. Depois eu te conto o valor do meu salário, o modelo do avião que uso, carro e etc. Nem gastaria mais um minuto para discutir esse assunto, salvo se fosse para defesa da fé de alguém. A senhora fala muito em revelação do Espírito Santo que chego a duvidar se realmente o conheces. Vocês ficam se alimentando dessas mal formações de pastores, de mercenários e acha que todo mundo vai ser encontrado no latão desse lixo. falou em porcentagem alta de pastores que são ladrões e etc. A sua escola deve ter sido de algum desses revoltados com igrejas como instituição. Mas veja; não deixei de publicar o seu comentário. Contra ou a favor tem relativo livre trãnsito. Misturar dízimo com salvação para duvidar da obra expiatória sobre milhares de vidas que creram, aceitaram a Cristo como Salvador e Senhor pelo fato de terem contribuído fielmente com seus dízimos é querer ser catalisadora de todas as verdades.

      Excluir
  14. Faltou dizer a Da. Maria Simões que uma pessoa que sai às portas das igrejas panfletando suas convicções, ignora os mais elementares ensinamentos bíblicos e me deixa duvidoso quanto a pureza dessas ações.

    ResponderExcluir